Hackers atacaram os dados da sua empresa? Explicamos como proceder

Veja o que fazer se um hacker comprometer sua infraestrutura de TI e seus dados!

O ataque de hackers é um problema cada vez mais comum nas empresas. Aprenda como proceder, caso isso aconteça na sua organização, bem como, se proteger!

O que é um ataque cibernético?

Um ataque cibernético pode ser definido como uma ação praticada por hackers, que consiste na transmissão de vírus que infectam, danificam e roubam dados de computadores e bancos de dados das empresas.

Com os dados em mãos, os criminosos podem exigir dinheiro para que a empresa o resgate, por exemplo. Em nosso país, infelizmente, esse tipo de crime não para de crescer.

De acordo com o 3º Relatório de Segurança Digital no Brasil produzido pela PSafe, o número de ataques cibernéticos praticamente dobrou no Brasil em 2018. No primeiro semestre daquele ano, os hackers atacaram 120,7 milhões de vezes, 95,9% a mais do que em 2017.

O Relatório de Ameaças à segurança na Internet 2018 da Symantec mostra, por exemplo, que só os ataques de cryptojacking cresceram cerca de 8.500% em 2017.

Em 2020, com a crise da pandemia do novo coronavírus, o home office passou a ser regra. E somente no primeiro trimestre foram mais de 1,6 bilhão de tentativas de ataques cibernéticos, conforme dados coletados pela Fortinet. Na América Latina foram 9,7 bilhões. Um crescimento sem precedentes.

O Brasil está entre os cinco países do mundo que mais sofre com ataques cibernéticos, especialmente ransomware, atrás de Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha e África do Sul.

As violações deste tipo saltaram em 92% desde o início de 2021 no país. Os setores econômicos mais afetados foram a educação (alta de 615%), saúde (594%) e varejo, com aumento de 264% nas violações de segurança.

São assustadores os números da falta de segurança da informação. Esses dados mostram a necessidade cada vez mais urgente de gerar mecanismos de confiança para a proteção de sua empresa. Os investimentos em segurança de TI não são um luxo, mas uma exigência para quem quer se manter no mercado.

Ainda assim, muitas vezes o hacker só é identificado após a invasão. O que fazer nesse caso é o que iremos abordar neste artigo.

Como funciona um ataque de hackers?

Quando um ataque de hackers ocorre, um ou mais computadores são invadidos por pessoas não autorizadas. Isso é bem comum de ocorrer quando a companhia não investe em segurança da informação, por exemplo.

Existem vários tipos de ciberataques e com diferentes finalidades. No decorrer deste artigo, explicaremos mais sobre eles!

Medidas de segurança que as empresas devem ter para evitar um ataque cibernético

Para que a sua empresa possa se proteger, existem algumas medidas que devem ser tomadas para evitar um ataque cibernético. Veja, a seguir, as principais delas!

Conhecer os riscos e vulnerabilidades

É de fundamental importância que a empresa conheça todos os riscos a que ela está exposta, bem como as vulnerabilidades que possui.

Apenas assim será possível tomar as medidas cabíveis para corrigir essas falhas e evitar que elas se tornem um problema mais grave.

Criptografia de dados

A criptografia é bastante relevante para os negócios. Trata-se de uma tecnologia que funciona como uma espécie de capa protetora para os sistemas das empresas.

Dessa forma, fica mais difícil para os hackers invadirem os sistemas e terem acesso às informações e dados sigilosos da companhia.

Certificar-se de que o hardware está protegido

É necessário que os hardwares estejam sempre muito bem protegidos, por meio do uso de antivírus e outros recursos que impeçam o fácil acesso dos hackers.

Adotar a segurança como parte da cultura da empresa

A segurança da informação não deve ser vista como uma mera obrigação, mas sim como uma parte importante da cultura da empresa.

Investimentos de tecnologia em segurança da informação não são eficazes sem conscientizar e treinar o usuário para não cair nas armadilhas dos golpistas digitais. E, infelizmente, o elo mais fraco normalmente é o usuário, que acaba não percebendo que está sendo usado por uma estratégia de engenharia social e clica em links, ou realiza downloads contento conteúdos maliciosos.  

Adotar a segurança da informação como parte da cultura da empresa, faz com que os próprios funcionários se sintam motivados a adotarem boas práticas para melhorar a segurança no dia a dia das operações.

Realizar atualizações periodicamente

As atualizações, seja de sistemas operacionais, aplicativos, antivírus e demais programas de segurança devem ser feitas periodicamente, tanto nos servidores, como nas estações de trabalho dos usuários. 

Tais atualizações costumam corrigir falhas de segurança das versões anteriores. Assim, você mantém um ambiente mais seguro e diminui as vulnerabilidades da empresa.

Política para criação de senhas

Os colaboradores devem ser orientados para que criem senhas pouco óbvias, para que sejam mais difíceis de serem descobertas por hackers e pessoas não autorizadas.

Uma boa ideia é mesclar letras, números e caracteres especiais na criação de senhas. Além disso, uma política de atualização periódica das senhas, não permitindo a utilização de senhas já utilizadas no passado, ajuda a proteger o ambiente como um todo.

Backup dos dados com frequência

Os backups também devem ser realizados e verificados com frequência. A ideia é que, se por qualquer vulnerabilidade, alguma informação for roubada, não seja necessário pagar resgate, tendo em vista que existe a cópia de segurança para uma rápida restauração do ambiente de TI, bem como dos sistemas e bancos de dados. Hoje, há uma série de soluções de backup que utilizam a nuvem como um elemento a mais de segurança, ao hospedar o backup em um ambiente externo à empresa. 

Além da realização dos backups é muito importante que os mesmos periodicamente sejam homologados, ou seja, os dados importantes passem por testes de restore, garantindo assim que se necessário o backup está 100% funcional.

Tipos de ameaças virtuais

Antes de pensar em como se defender de ataques de hackers, é preciso pensar nos tipos de ataques hackers. Veja alguns, a seguir!

Exploração de dia zero

Se aproveita de vulnerabilidades de softwares e sistemas operacionais para invadir organizações que os utilizam antes que a correção seja disponibilizada.

Spoofing

Falsificação de endereços de IP, DNS e e-mails. É semelhante ao phishing, mas não requer necessariamente o download de malware.

Ataque man-in-the-middle (MITM)

Interceptação de comunicação para espionar as vítimas e roubar informações pessoais ou dados sigilosos.

Injeção de SQL

Ataque cibernético específico a bancos de dados SQL para criar, ler, modificar ou excluir os dados armazenados no banco.

Phishing

Invasor engana a vítima para que ela entregue informações valiosas. Em geral, esses ataques chegam por e-mail.

Backdoor

Espécie de cavalo de troia (trojan) que acessa o sistema e o controla remotamente.

Um ataque muito conhecido é o malware, um aplicativo que executa várias tarefas maliciosas. Ele pode ser projetado para diversas funções, como criar acesso persistente a uma rede, espionar usuários para obter, causar interrupções ou extorquir a vítima. A forma mais comum deste malware é o ransomware. 

O sugestivo nome do maior ataque de ransomware da história – WannaCry - define bem o estado de cerca de 200 mil usuários em maio de 2017 em mais de 150 países. Na França, a montadora Renault teve que fechar sua maior fábrica, e no Reino Unido os hospitais tiveram que rejeitar pacientes.

O ransomware, modalidade que mais cresce no mundo, é um dos ataques mais prejudiciais para os negócios. O ataque exibe uma mensagem de sequestro do seu sistema, inutilizando todo o equipamento ou até mesmo, todo o ambiente de TI, até que seja pago um resgate para que seus dados sejam descriptografados. O pagamento geralmente deve ser feito através de criptomoedas (como o bitcoin), que são bem difíceis de serem rastreadas. Percebe-se inclusive um aumento na ação dos sequestradores, quando tais moedas estão em alta.

Com crescimento de 92% desta modalidade de ataque desde o início de 2021, o Brasil está entre os cinco países do mundo que mais sofre com ataques de ransomware.

Complemente seu conhecimento em nosso artigo: A ameaça dos ransomwares e como proteger seu ambiente de TI.

O que fazer se um hacker invadir seu banco de dados?

A invasão de hackers à rede ou ao banco de dados pode ser muito danosa à empresa, e o primeiro passo é ir contra o desejo de não fazer nada. Por mais incrível que pareça, esse costuma ser o primeiro impulso de quem descobre que sua estação de trabalho foi invadida.

Qualquer usuário que identifique algo estranho ou suspeito acontecendo em sua estação de trabalho, deve retirar imediatamente o equipamento da rede, seja desconectando o cabo de rede ou desativando o wifi e notificar o departamento de TI.

Constrangimento, medo da reação do mercado, falta de experiência ou suporte sobre o assunto fazem com que muitos empresários não reportem a invasão à polícia. Mas essa atitude é errada.

A proteção contra ataque de hackers depende também da notificação dos órgãos competentes. Por isso, todo ataque deve ser notificado. Mas esteja preparado para isso, porque você não vai querer fechar sua empresa enquanto a investigação acontece.

Para evitar que isso aconteça, esteja preparado para fornecer à polícia os arquivos e sistemas exatos que foram atacados pelo hacker. Dessa forma, você contará com o apoio os investigadores.

Como fazer isso? Cercando-se de profissionais que conheçam a legislação especializada e possam fazer uma investigação própria prévia à comunicação à polícia. Lembre-se de que os dados de empresa são ativos valiosos.

Assim, você pode dizer que o hacker violou os servidores da sua empresa como descrito no artigo tal do Código Penal, com prejuízo de cerca de R$ x mil, o que constitui um crime de determinado grau. Se possível, forneça também o endereço de IP do hacker. Tudo isso agilizará a investigação.

Esse é o primeiro passo para se proteger da invasão de hackers. Em segundo lugar, os especialistas recomendam nunca pagar o resgate. Não existe qualquer garantia de que ocorrerá a devolução dos dados. Ademais, se o banco de dados de empresa for devolvido, nada garante que ele não tenha sido vendido ou alterado.

Em outras palavras, na hora de pensar em proteção contra ataque de hackers, não ceda ao pagamento, porque ele também encoraja novos ataques.

Em vez disso, verifique se seu e-mail não está em alguma lista de vazamento de dados que costuma circular na internet nesses momentos. Há um site, o Have I Been Pwned, onde constam nada menos que 1 trilhão de e-mails hackeados nos últimos anos.

Dicas para se prevenir de invasão de hackers

Para que você possa evitar os problemas envolvendo hackers, precisa colocar em prática as orientações que citamos anteriormente. Além disso, pode ficar de olho em algumas dicas, conforme falaremos a seguir!

O primeiro passo para se prevenir de invasão de hackers é realizar uma análise de vulnerabilidades. Essa análise é o processo de reconhecer, analisar e classificar falhas relacionadas à segurança da infraestrutura de tecnologia. Assim, o profissional responsável identifica os pontos fracos na cibersegurança. 

A partir daí, é possível adotar medidas de proteção contra ataques de hackers. Elas envolvem corrigir as fragilidades de todo o ambiente, o que melhora a maturidade da segurança da informação da empresa, tornando- a mais robusta. 

Na análise de vulnerabilidade, os responsáveis por ela devem adotar algumas práticas importantes, como o monitoramento contínuo dos sistemas. Esse monitoramento envolve também inspeções regulares para acompanhar e identificar possíveis ocorrências.

Com ela, reduz-se a incidência de problemas como sistemas desatualizados, contas inativas, ransomwares e senhas fracas. No mesmo sentido, a análise protege os ativos empresariais contra os diversos tipos de ataques hackers, o que evita prejuízos financeiros e de imagem à empresa.

Além da análise de vulnerabilidade, uma boa política de segurança é fundamental, pois ela envolve algumas práticas destinadas aos colaboradores, maior fator de vulnerabilidade em uma empresa. Uma vez definida a política de segurança, garanta que todos os colaboradores terão acesso fácil à mesma, bem como treinamentos constantes sobre atualizações e novas necessidades de segurança. Lembre-se de que sua política de segurança deve estar adequada à Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais

Outra prática importante na proteção contra ataque de hackers é a atualização constante de sistemas. Ela corrige falhas nos produtos e atualiza o sistema inclusive quanto a novas ameaças que surgiram desde a última atualização. 

No mesmo sentido, o uso de soluções de cloud computing também auxilia na proteção contra ataques de hackers. No entanto, essa prática é tão fundamental que merece mais destaque.

Cloud computing e proteção contra ataque de hackers

A computação em nuvem dispõe de inúmeras tecnologias capazes de proteger sua empresa de ataques de hackers. Uma delas é o backup em nuvem, que traz segurança aos dados e protege as informações.

Por isso, a recomendação é que você passe a utilizar um servidor na nuvem, que oferece muito mais segurança à TI e mais proteção ao data center. São inúmeras as vantagens do Cloud Computing e você ganha não só em segurança da informação, mas principalmente com a flexibilidade de escalabilidade e a grande opção de backups.

Conte sempre com a assessoria de uma empresa especializada em TI. A Flowti, por exemplo, tem um vasto portfólio para ajudar as empresas a melhorar o nível de maturidade da segurança da informação dos seus ambientes de TI. Veja algumas delas:

Agora que você já sabe como melhorar a proteção contra ataques de hackers, tente ao máximo evitar que isso aconteça. Afinal, a prevenção é sempre a melhor defesa da sua empresa.

Quer saber mais sobre os serviços oferecidos pela Flowti em segurança da informação e Cloud Computing? Solicite o contato de um especialista e continue acompanhando nossos posts!

Quer falar com um especialista da Flowti?

Solicite o contato agora mesmo!