Saúde e transformação digital: como se preparar?

Quer ficar por dentro das tendências para a transformação digital no setor da saúde? Então confira nosso artigo.

A Transformação Digital na saúde é uma jornada de mudança organizacional que abrange desde os modelos de negócios tradicionais em saúde à forma dos profissionais interagirem com seus pacientes. É uma mudança necessária tanto de processos e estratégias, quanto de cultura organizacional e mindset.

Nos tópicos a seguir, vamos trazer alguns esclarecimentos sobre o tema:

O que é transformação digital na saúde?

A transformação digital na saúde é mais do que um simples investimento em tecnologias para um hospital, operadora ou estabelecimento de saúde. Tampouco é algo que deve estar relacionado apenas ao setor de TI das instituições.

O conceito está mais relacionado à estratégia e à cultura organizacional. A ideia é que todos os colaboradores dos estabelecimentos de saúde tenham um olhar voltado para uma nova forma como as atividades são realizadas.

O uso das tecnologias no atendimento aos pacientes garante um atendimento mais ágil, eficiente e humanizado. Inclusive, as pessoas já estão buscando por isso! Ao chegarem em uma unidade de saúde, os pacientes já pesquisaram na internet sobre os seus sintomas, já têm um conhecimento prévio, ainda que não especialista, sobre suas patologias etc.

Dessa forma, os médicos devem buscar meios para atender a esse paciente bem informado de forma eficiente, garantindo a satisfação das pessoas.Instrumentos como prontuários eletrônicos, cadastros dos usuários no consultório ou nas clínicas, entre outros, são exemplos de itens usados na transformação digital.

Como se preparar para a transformação digital na saúde?

A transformação digital ocorre, de fato, quando o estabelecimento de saúde modifica a sua essência e a sua cadeia de valores. Além disso, também são provocadas mudanças na forma como é realizado o relacionamento com os públicos das instituições.

A forma como a transformação digital acontece nos estabelecimentos de saúde, no entanto, depende da forma como a instituição olha para a sociedade e quais são as suas estratégias.

Ou seja, além de fazer os investimentos em tecnologia, que são muito importantes, é preciso ter um planejamento estratégico bem definido.

Os gestores das clínicas e hospitais devem fazer um mapeamento completo sobre tudo o que os recursos tecnológicos podem fazer para melhorar o atendimento e os serviços prestados aos pacientes.

Ao identificar os problemas, deve ser feito um diagnóstico sobre as melhores soluções digitais para solucionar esses gargalos. Dessa forma, a transformação digital ocorre de maneira saudável e que realmente solucione os problemas da instituição de saúde.

Quais os impactos das tecnologias digitais na saúde?

A ocorrência da transformação digital nos estabelecimentos de saúde proporciona muitas vantagens. Entre elas podemos destacar, por exemplo, uma melhor condição de trabalho aos trabalhadores.

Por conta do excesso de trabalho, de processos engessados e condições precárias, percebe-se um alto índice de estresse de médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem e outros profissionais do setor. Com o uso da tecnologia, melhores processos e digitalização de documentos, a instituição ganha em agilidade, reduzindo a carga de trabalho e proporcionando uma melhora significativa no bem-estar dos profissionais de saúde.

Para os pacientes, os impactos também são positivos. Afinal, os atendimentos tornam-se mais ágeis e eficientes. Essa melhor experiência ajuda a fidelizar os pacientes, que voltarão a procurar a instituição de saúde, em outras oportunidades em que for necessário.

Além disso, obviamente, a transformação digital na saúde também trará uma redução de custos para as instituições.

Digitalização da saúde

A digitalização da saúde está envolta a diversos fatores. Na sequência, vamos apresentar alguns dos principais deles!

Processos ágeis

Os processos ágeis surgiram na indústria da Tecnologia da Informação e servem para resolver problemas relacionados à gestão de projetos.

Essas metodologias também podem ser aplicadas à área da saúde. Isso porque a tecnologia ajuda a reduzir as etapas muito longas nos processos, além de facilitar a comunicação e o bom alinhamento dos times.

Excelência operacional

A excelência operacional é atingida pelas empresas de saúde que investem em transformação digital. Para isso, investir em parcerias estratégicas é fundamental.

O ideal é que se busque parceiros especialistas em tecnologia para a área da saúde, que possam desenvolver diagnósticos da maturidade digital e propor soluções para que a transformação ocorra.

Sistemas inteligentes

Os sistemas inteligentes, como os usados na gestão dos hospitais, são fundamentais para que a transformação digital ocorra. Porém, apenas isso não é suficiente. Os gestores destas instituições precisam entender que a implantação de um software não resolverá todos os seus problemas.É evidente que uma boa ferramenta contribui muito, mas as tecnologias precisam estar alinhadas ao correto uso dos recursos na cultura organizacional. Apenas assim será possível colher bons frutos da transformação digital.

Mindset digital

Mais do que implementar sistemas, é preciso ter um mindset digital, ou seja, o pensamento voltado para o uso de tecnologias.

Ao pensar dessa forma, é possível raciocinar sobre como cada recurso é implementado nas organizações de saúde, extraindo o máximo dos recursos que a tecnologia coloca à disposição.

Infraestrutura de TI

No que se refere à TI, é importante que se entenda que cada instituição de saúde possui suas particularidades e realidades. Cada ambiente precisa ser analisado criteriosamente para que se possa estabelecer um cenário ideal para a instituição. 

É, pois, importante que se realize um correto diagnóstico, de acordo com as metodologias e objetivos de cada estabelecimento de saúde. Assim, se constrói a infraestrutura adequada para cada situação. Para algumas instituições pode ser mais indicada uma infraestrutura on premisses, enquanto para outras, a cloud pode ser uma excelente aliada para a redução de custos operacionais.

Como instituições de saúde lidam com uma quantidade enorme de dados pessoais de cada paciente, é fundamental que exista um olhar muito atento à segurança da informação. Infelizmente os cibercriminosos encontraram no setor de saúde um “prato cheio” para o sequestro de dados em busca de pagamento de resgates. É, portanto, muito importante que se estabeleça uma correta política de segurança de dados, e que essa cultura seja vivida no dia-a-dia em todas as esferas da instituição.   

Nível de maturidade de TI

O nível de maturidade de TI das instituições de saúde pode ser avaliado por uma série de metodologias. Conhecer o nível atual ajuda a compreender quais investimentos devem ser priorizados para que você siga a sua jornada de evolução da maturidade digital. Quanto maior o nível de maturidade melhor será a eficiência operacional e digital das instituições de saúde.

O nível de maturidade pode ser medido ao se avaliar a adequação a alguns modelos nacionais e internacionais. Alguns deles são:

ISO 27001

A ISO 27001 é o padrão e a referência internacional para a gestão de dados e segurança da informação.

A normativa reúne uma série de regras que devem ser seguidas para que as instituições de saúde garantam uma gestão de dados correta.

LGPD/GDPR

Por falar em legislações que envolvem o uso de dados, no Brasil temos a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados). Para as organizações de saúde, se adaptar às regras impostas pelo nosso governo é importantíssimo.

Para os países da Europa, o que vale é o GDPR (General Data Protection Regulation), que tem a mesma finalidade que a LGPD por aqui.

Metodologia HIMSS Infram

O Modelo de Adoção de Infraestrutura HIMSS Infram ajuda os gestores de saúde a avaliar e mapear a infraestrutura e os recursos de tecnologia necessários para atingir as metas de suas instituições, ao mesmo tempo em que atende aos padrões e referências internacionais definidos por esse modelo.

HIPAA

A HIPAA (Health Insurance Portability and Accountability Act) é uma legislação aplicada nos Estados Unidos, dentro dos mais altos padrões de segurança de dados. 

Trata-se de um conjunto de normas que empresas do segmento de saúde devem cumprir para proteção dos dados. Apesar de ser uma legislação exigida exclusivamente no mercado americano, instituições de saúde que atuam internacionalmente, devem conhecê-la, e, em alguns casos até mesmo, implementá-la.

Terceirização da TI

Ao falarmos de infraestrutura de TI, contar com o apoio de uma empresa terceirizada que já possui expertise no segmento de saúde pode ser uma excelente ajuda ao departamento interno de TI da instituição. 

Hoje, há um vasto portfólio de soluções oferecidas na modalidade “as a Service”, ou seja, contratam-se soluções como serviço. Outsourcing, gestão de infraestrutura, gestão de banco de dados, middleware, monitoramento e suporte de ambientes, Backup as a Service, Firewall as a Service, Disaster Recovery as a Service, são algumas das opções disponíveis. 

A Flowti possui uma história de muito sucesso realizando a gestão de infraestrutura para ambientes de negócios de missão crítica como hospitais, operadoras de saúde, e healthcare em geral.

Caso você precise de ajuda, seja para realizar um diagnóstico do nível de maturidade atual da sua TI, ou apoio para evoluir a sua infraestrutura rumo à uma verdadeira transformação digital, solicite o contato de um dos nossos especialistas. Estaremos felizes em poder lhe ajudar.

Quer falar com um especialista da Flowti?

Solicite o contato agora mesmo!